capital de giro

Capital de giro: você conhece as formas de usá-lo?

As empresas podem ser comparadas a um organismo vivo, um todo dinâmico composto de diversas partes que, com suas peculiaridades, contribuem para o bom desempenho do conjunto. A necessidade de capital de giro (NCG) é um dos principais elementos dessa estrutura, sendo vital para manter tudo funcionando.

A necessidade de capital de giro (NCG) é um indicador importante para a gestão financeira da empresa, mostra a necessidade ou não de adquirir capital de giro de fontes externas, bem como o seu valor. A fórmula para seu cálculo depende do momento em que a empresa se encontra, e pode ser feita de maneira a pensar no balanço patrimonial ou no ciclo financeiro.

Ao longo deste artigo, conceitualizamos o capital de giro, bem como sua necessidade e relevância para as vendas no cartão de crédito. Além disso, apresentamos excelentes formas de utilizá-lo, destacando sua relação com o cartão de crédito empresarial.

O que é capital de giro?

Possuir certa quantia em dinheiro armazenada para garantir a manutenção da empresa e seus processos é, praticamente, uma obrigação de qualquer organização responsável, pois isso permite sustentar as operações e assegurar boa saúde financeira.

A tais recursos, em proporções adequadas para permitir a continuidade dos negócios, dá-se o nome de capital de giro. Trata-se, essencialmente, da somatória de todos os recursos financeiros imprescindíveis para a continuidade das operações de uma empresa. Isso inclui, também, o dinheiro aplicado em caixa, no banco, ao comprar insumos para a produção ou formação de estoques, valores recebidos diretamente dos clientes etc.

O capital de giro é útil, ainda, para o pagamento de salários dos funcionários, impostos e cobrir eventuais reformas. Refere-se, enfim, em termos práticos, a qualquer movimentação financeira realizada pelo negócio e que envolva todos os elementos que possam, rapidamente, ser transformados em dinheiro.

É importante não confundir o capital de giro com o fluxo de caixa, algo que acontece com muita frequência. Enquanto este último demonstra a movimentação de entradas e saídas de dinheiro, o primeiro termo representa a diferença existente entre entradas e saídas, ou seja, os valores que estão, efetivamente disponíveis para utilização.

A Necessidade de capital de giro (NCG) é o índice que demonstra a quantia necessária para que a empresa mantenha o pleno funcionamento de suas atividades. Essa métrica pode auxiliar os gestores, assinalando a indispensabilidade de recorrer a outras fontes de recursos, tais como empréstimos bancários.

Para quantificar o capital de giro necessário, deve-se levar em consideração uma série de despesas (variáveis conforme as características gerais de cada organização e as especificidades do segmento de atuação), como salários, pagamentos a terceirizados, custos de matéria-prima, infraestrutura, impostos, encargos trabalhistas, títulos, empréstimos, investimentos, capacitação e treinamento de funcionários, etc.

Qual a importância do capital de giro?

Além de assegurar a continuidade dos negócios, o capital de giro pode apontar, também, o momento ideal para que a empresa planeje futuras expansões e realize investimentos voltados a ampliar e diversificar suas operações. Entre outras aplicações do capital de giro, encontra-se a possibilidade de arcar com os custos relativos a produtos, mercadorias e cobranças, bem como ajudar no financiamento de fornecedores, nas contas a serem honradas e nos tributos a pagar.

Prescindir de um controle apropriado do capital de giro acarreta inúmeras consequências danosas para a organização, com especial destaque para a elevação dos riscos operacionais que, por sua vez, podem levar a fluxo de caixa negativo.

Você sabe que para que o seu negócio tenha sucesso, é indispensável atingir o equilíbrio financeiro. Um dos modos de conseguir isso é contar com nível razoável de capital de giro, sobretudo naqueles períodos de intervalo entre os pagamentos realizados aos fornecedores e a entrada de recursos provenientes das vendas em caixa.

A despeito de tudo o que mencionamos até aqui, é nas vendas efetuadas no cartão de crédito que a necessidade de capital de giro se mostra mais premente. Todo empreendedor sabe que, ao efetuar uma venda nessa modalidade, é preciso esperar 30 dias até que os valores cheguem à empresa.

Em termos de fluxo de caixa, isso representa uma “conta a receber” e o capital de giro deve cobrir as despesas até que esse recebimento se realize de fato.

Quais as maneiras de utilizar o capital de giro?

Confira, a seguir, algumas maneiras de empregar o capital de giro da sua empresa:

  • pagamento de impostos: as empresas têm diferentes impostos a serem pagos em uma base mensal ou anual, por exemplo, INSS, FGTS, ISS, ICMS, IR, entre tantos outros. Cada qual tem datas específicas para o recolhimento e não devem ser quitados em atraso, sob pena de multas;
  • salários: sendo obrigação mensal da empresa, os salários têm data determinada para o pagamento (embora a mais comum seja o quinto dia útil). Uma vez que nem sempre os recebimentos ocorrem em tempo hábil, o capital de giro, nesse caso, pode fazer toda a diferença;
  • custos e despesas operacionais: todos os processos de uma organização geram custos, até mesmo a mais simples atividade. Logo, é indispensável contar com recursos disponíveis para arcar com detalhes que, apesar de parecerem irrelevantes à primeira vista, podem prejudicar ou, até mesmo, paralisar o trabalho.

Além das citadas, há uma maneira de utilizar o capital de giro que, dada a sua importância, merece especial destaque: a quitação da fatura do cartão de crédito mensal.

Assim como os recebimentos, os pagamentos feitos no cartão de crédito não geram impactos imediatos ao fluxo de caixa, uma vez que, obviamente, seus valores são descontados posteriormente.

No entanto, isso não significa que ele deixa de representar uma renda a se preocupar, tanto no mês corrente quanto no seguinte, em que deve ser feito o pagamento da fatura. Você deve estar preparado para quitar a fatura rigorosamente em dia, a fim de evitar a incidência de juros.

A data de vencimento é determinada previamente pela operadora do cartão de crédito. Sua alteração é possível, mas, na maioria dos casos, complicada. Ante tal cenário, o capital de giro oferece uma saída muito útil para garantir a pontualidade desses pagamentos.

O que fazer para suprir a necessidade de capital de giro?

Para que a sua empresa consiga sempre suprir a necessidade de capital de giro e, assim, cobrir os gastos organizacionais, é imprescindível realizar um completo e minucioso planejamento financeiro.

Então, se você deseja qualificar ainda mais seus processos de negócios, confira 7 excelentes dicas de planejamento financeiro para postos de combustíveis!

Guia completo de criação de metas em postos