Tão logo a assessoria de imprensa do futuro ministro Paulo Guedes anunciou a indicação de Roberto Castello Branco como o novo presidente da Petrobras no futuro governo de Jair Bolsonaro, a equipe de analistas do ClubPetro já se debruçou em pesquisas para avaliar os impactos de sua indicação para o mercado.

Castello Branco é experiente, tendo atuações mais marcantes como diretor da Vale e do Banco Central. Já atuou inclusive no conselho de Administração da Petrobras durante dois anos no governo Dilma.

O atual presidente, Ivan Monteiro, vai continuar no cargo até a transição de governo, mas como pessoa de confiança de Paulo Guedes, Roberto Castello Branco tem tudo para gerir a estatal petroleira com muita autonomia.

O novo presidente da Petrobras é economista, também como Paulo Guedes, oriundo da universidade de Chicago e atualmente é diretor da Fundação Getúlio Vargas.

O futuro presidente já manifestou no passado ser favorável à privatização da estatal, mas nenhum parecer foi emitido nesse sentido por ele ou sua assessoria após a sua indicação.

Como revendedores, nossa dúvida logo paira sobre a política de preços praticada pela Petrobras. Acreditamos que o futuro presidente irá manter uma política de preços equalizada com o mercado internacional, no entanto, dado seu posicionamento e experiência, que esta não será feita com tantas intervenções governamentais como visto no passado.

O futuro presidente já criticou os subsídios aos preços locais dos combustíveis, como é o caso do subsídio do diesel, um tema complexo, tanto político como econômico, uma vez que o desarme desse subsídio pode provocar reações indesejadas haja visto o episódio recente da greve dos caminhoneiros.

Neste caso, um cenário que estimule a queda nos preços internacionais pode promover um caminho mais tranquilo para um possível desarme do subsídio por parte do futuro presidente da estatal.

Tudo indica que a Petrobras irá continuar com a política de preços no futuro, no entanto, os indícios que a mesma não realize ajustes diários são muito fortes, mas que sem dúvidas, irá buscar a equalização com as cotações internacionais.

Destacamos um nome qualificado para a Petrobras, ficamos na torcida para que esteja à altura da principal empresa brasileira. O trabalho do Ivan Monteiro não foi nada fácil e certamente o futuro presidente será muito exigido em relação a estas complexas decisões.

Um único passo para aumentar as vendas do seu posto!

Gostou do Post? Quer receber mais textos como esse?

Assine nosso Blog e receba novos posts diretamente em seu Email.