A Petrobras anuncia mudanças na prática de preços do diesel, nesta terça-feira, 26 de março. Os preços serão reajustados a cada 15 dias, no mínimo, conforme informado pela estatal.

Segundo comunicado, “Os preços do diesel nas refinarias da companhia, que correspondem a cerca de 54% dos
preços ao consumidor final, serão reajustados por períodos não inferiores a 15 dias. A Petrobras continuará a utilizar mecanismos de proteção, como o hedge com o emprego de derivativos, cujo objetivo é preservar a rentabilidade de suas operações de refino. A companhia manterá a observância de preços de paridade internacional (PPI), abstendo-se, portanto, de práticas que poderiam caracterizar o exercício de poder de monopólio, já que possui 98% da capacidade de refino do Brasil.

Sobre este aspecto, vale notar que pesquisa abrangendo 163 países – vide Globalpetrolprices.com – revela que o preço do diesel ao consumidor final no Brasil é 18% inferior à média global e ocupa a 57º posição, sendo, portanto, inferior aos preços observados em 106 países. Ficam mantidos os princípios que balizam a prática de preços competitivos, como preço de paridade internacional (PPI), margens para remuneração dos riscos inerentes à
operação e nível de participação no mercado”.

Ainda no mesmo comunicado, a Petrobras informa que, através de sua subsidiária Petrobras Distribuidora S.A. (BR), está desenvolvendo para implantação num período de até 90 dias, um cartão de pagamentos que viabilizará a compra por caminhoneiros de litros de diesel a preço fixo nos postos com a bandeira BR (Cartão Caminhoneiro).

O Cartão Caminhoneiro, destinado aos profissionais autônomos e proprietários de frotas de caminhões, servirá como opção de proteção da volatilidade de preços, garantindo assim a estabilidade durante a realização de viagens, segundo a Petrobras.

Ebook: Conheça as Ferramentas do ClubPetro e quais problemas elas resolvem