O bom atendimento, preços competitivos e o respeito às normas de segurança fazem com que um posto de combustível possa construir uma imagem positiva perante o público e a concorrência. Além disso, é fundamental estar bem organizado para ficar em dia com as obrigações fiscais.

Caso não esteja cumprindo as regras previstas, o proprietário terá de pagar multas que variam de acordo com a infração praticada. Essa situação dificulta o investimento em melhorias, podendo até provocar a interdição do local.

Para você não enfrentar problemas com a burocracia, vamos abordar as obrigações fiscais mais exigidas, a necessidade de estar atento à legislação e medidas que ajudam um posto a estar dentro das normas. Confira!

Conheça as obrigações fiscais

Estar bem informado é uma vantagem competitiva que não pode ser ignorada. Pensando nisso, vamos apresentar as obrigações fiscais que devem ser obedecidas por todos os postos de combustível. Acompanhe!

LMC

O preenchimento do Livro de Movimentação de Combustíveis (LMC) é uma forma de o empreendedor comprovar que está cumprindo devidamente as regras impostas.

Nesse livro, devem ser registradas as atividades de compra e venda realizadas em um dia. O mesmo procedimento é adotado em relação ao estoque de combustíveis. As informações precisam ser claras, corretas e arquivadas durante um prazo de cinco anos.

Caso os dados estejam incorretos ou o posto não tenha o LMC, o local pode ser interditado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Além do prejuízo financeiro, haverá danos para a imagem. Isso porque o consumidor leva em consideração a ética de uma empresa ao adquirir produtos e serviços.

PIS e COFINS

A Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) e o Programa de Integração Social (PIS) são tributos federais de cunho social. Ambos foram estabelecidos pela Constituição Federal de 1988 e se caracterizam por ser calculados com base na receita bruta.

Em relação à COFINS e ao PIS, os postos ficam submetidos ao regime monofásico — também conhecido como tributação concentrada —, que se destaca por abranger de maneira específica a venda de determinadas mercadorias.

No caso dos combustíveis, esse regime está detalhado pela Lei 10.865/04 e faz com que o fabricante ou importador seja o responsável pelo ônus tributário.

Em relação aos lubrificantes e acessórios, o recolhimento do PIS e da COFINS é de responsabilidade do proprietário do posto de combustível. Porém, essa obrigação pode ser atribuída ao fabricante, dependendo do regime fiscal escolhido (lucro real ou lucro presumido).

SPED Fiscal

O Sistema Público de Escrituração Digital (SPED Fiscal) consiste em um arquivo digital que tem dados sobre a apuração de diversos impostos, como o Imposto sobre Circulação de Serviços (ICMS) e o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

A ferramenta permite que a fiscalização tributária de uma empresa seja feita com mais eficiência, gerando um arquivo mensalmente que demonstra como está o pagamento dos impostos.

Como o ICMS é um dos tributos que incidem sobre os combustíveis, a utilização do SPED é uma obrigação fiscal que deve ser respeitada pelos empresários. O posto deve gerar dados que precisam ser enviados mensalmente à Receita.

Caso as informações sobre os impostos estejam corretas, maiores são as chances de uma empresa conseguir uma isenção fiscal participando de projetos sociais.

NFC-e

A tecnologia está cada vez mais inserida em nosso cotidiano. Um bom exemplo é a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e). Ela é um documento eletrônico que passou a ser utilizada no lugar das notas fiscais de vendas para o consumidor (modelo 2) e dos cupons fiscais emitidos por uma Impressora Fiscal (ECF).

A emissão dessa nota fiscal passou a ser obrigatória para os postos de combustível em alguns estados brasileiros. Essa ação permite mais agilidade nas transações e redução nos gastos com papel, o que ajuda a preservar o meio ambiente.

Impostos trabalhistas

O revendedor também precisa ter um foco bastante direcionado para as obrigações trabalhistas para manter as atividades de maneira correta e evitar problemas de ordem judicial com os empregados.

Por isso, a recomendação é ter um cuidado especial com o recolhimento das contribuições sindicais e das assistenciais. O pagamento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) também deve ser feito de forma regular.

Outro procedimento obrigatório é elaborar relatórios com informações sobre os funcionários, como o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

SPED Contábil

Trata-se de uma ferramenta que entrega, de forma padronizada, as informações fiscais de um posto de combustível para a Receita Federal, facilitando o cruzamento de dados e reduzindo o uso de papel.

Esse software, por exemplo, pode ser usado para encaminhar informações sobre o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição sobre o Lucro Líquido (CSLL), tendo como base o lucro real ou o lucro presumido.

LALUR

É o Livro de Apuração do Lucro Real e tem o objetivo de informar o valor dos impostos que os postos de combustível devem pagar ao Fisco. É utilizado por empresas que apuram o Imposto de Renda pelo Lucro Real.

Atualmente, esse livro tem uma versão eletrônica, o que agiliza bastante o envio das informações. Além disso, pode ser ajustado anualmente ou trimestralmente, dependendo do regime de tributação adotado pela empresa.

Guia completo de criação de metas em postos

Tenha atenção com a cobrança dos tributos

Os empresários devem ter um bom conhecimento sobre as obrigações fiscais que abrangem um posto de combustível. Além das responsabilidades de cunho nacional, é preciso estar atento às particularidades da região onde fica o empreendimento.

Por exemplo, o ICMS é um tributo estadual que integra o preço dos combustíveis e apresenta variações de um estado para o outro. Isso significa que os valores cobrados podem apresentar mudanças de acordo com a localização.

Se um posto de combustível estiver prestando algum serviço de limpeza ou de manutenção do veículo, poderá ser cobrado o Imposto sobre Serviços (ISS), que é recolhido pelo município.

Mesmo que pretenda oferecer um preço mais atraente para os consumidores, o proprietário pode apresentar dificuldades devido à tributação. Para não ter prejuízos, é fundamental compreender como estão estruturados os impostos e pagá-los em dia.

Veja como não ter problemas com as obrigações fiscais

A variedade e a complexidade dos tributos fazem com que os empresários necessitem, na maioria dos casos, de orientação profissional para não enfrentarem problemas com o Fisco. Com certeza, não é fácil pagar tantos impostos e taxas em dia.

Nesse cenário, uma boa alternativa é contratar uma assessoria especializada no cumprimento de obrigações fiscais relacionadas com os postos de combustível. Essa iniciativa possibilita evitar multas por erros no cálculo do pagamento dos tributos.

Com uma assessoria de alto nível, o proprietário pode ter mais tranquilidade para administrar o posto e buscar medidas que promovam a melhoria do atendimento e a oferta de preços mais atraentes para o público-alvo.

Se você quer ter mais facilidade na gestão dos tributos, a dica é adotar sistemas voltados para essa atividade. Um deles é o Soluções LBC, com diversos módulos que evitam pendências com os órgãos fiscalizadores, como:

  • NFC-e;
  • SPED Fiscal;
  • SPED Contribuições (PIS/COFINS);
  • Manifestação do Destinatário; e
  • LMC.

Também é indicada a contratação do AutoXpert. O software possibilita atender, com bastante rapidez, todas as exigências fiscais, independentemente da localização do posto, sendo atualizado quando há alterações na legislação.

Outra vantagem é o acompanhamento automático do LMC, propiciando uma gestão mais eficiente dos estoques de combustíveis. Os dados estão disponíveis para o empreendedor, em tempo real, facilitando a tomada de decisão.

Estar bem informado ajuda a evitar problemas com as obrigações fiscais. Por isso, assine agora mesmo a nossa newsletter. O conhecimento sempre faz a diferença!