O lava-jato está a cada dia desaparecendo dos postos de combustíveis. Vários revendedores relatam que as obrigações ambientais são empecilhos para a continuidade desse serviço, pelos custos e a falta de retorno, já que hoje é necessário rentabilizar cada m², principalmente nesse momento de crise.

Nos EUA o carwash é um fenômeno de vendas e cresce mais a cada dia. Por que estamos na contramão já que os carros são cada vez mais caros e é um bem que o motorista lava com tanta frequência? O grande problema na verdade é a falta de controle do lava-jato e isso é desanimador para o revendedor.

Para ter controle, atualmente alguns revendedores optaram por uma máquina automática de rolo para lavagem, que tem um encerrante com o número de lavagens e isso é utilizado para fechar o caixa do lavador. O problema é que o investimento nesse equipamento pode passar de R$200.000,00 e existe uma falsa ideia de que o equipamento arranha os carros. Tenho 3 equipamentos desses em uso há 20 anos em meus postos e nunca paguei por nenhum carro arranhado.

Há cerca de 15 anos introduzi em alguns postos de nossa rede um sistema de controle com encerrante para a ducha manual, aquela utilizada com jato de água para lavar os carros. Eu pensava: se tenho um controle total nas máquinas automáticas de lavagem por que não posso ter nos postos que tenho lava-jato manual? Confesso que o controle hoje é 100%, e à prova de fraudes. O lavador no início do trabalho anota o número de encerrante inicial e ao término da jornada anota o número de encerrante final, e ao fechar o caixa terá que separar o valor monetário correspondente a essas lavagens realizadas.

O escritório do posto confere as anotações e audita se o valor está correto, caso contrário será debitado como quebra de caixa do lavador. O gerente do posto com alguma frequência confere se o encerrante anotado está correto para evitar algum tipo de fraude.

A dinâmica do funcionamento desse equipamento é muito simples e um eletricista qualquer consegue montar o equipamento com baixo investimento. Ele irá montar uma caixa elétrica com um temporizador, uma contatora e um encerrante. Essa caixa se liga à bomba d´água do jato e outra no jato de sabão. No e-book em anexo ilustro com fotos do equipamento e descrição dos materiais utilizados.

Cada jato de água fica ligado um certo tempo, normalmente 3 minutos, e nesse período o lavador retira o barro, lava as caixas de roda e joga uma ducha na lataria do carro. Após, entra o processo de jato de sabão, que dura normalmente uns 7 segundos e também possui um controle de encerrante. O lavador esfrega com uma bucha a lataria e com uma escova, os pneus. E por fim um jato de água com duração de 3 minutos para acabar de limpar o carro e deixar a lataria impecável.

Além do controle da ducha o revendedor consegue separar o preço de venda da lavagem do carro pouco sujo para o muito sujo, do carro pequeno para o grande… basta o lavador explicar ao cliente qual a previsão do número de jatos de água que irá precisar para deixar o carro limpo.

Atualmente todos os clientes entendem o procedimento de nosso lava-jato; os caixas fecham 100%; o tempo de lavagem é menor porque o cliente não paga por mais do que precisa; o consumo de água foi reduzido; e todos saem satisfeitos.

No próximo texto irei explicar como funciona nosso sistema de sangria de valores a vácuo, que vai direto da pista ao cofre.

Ricardo Pires
CEO e co-fundador do ClubPetro Fidelidade

Baixe nosso Ebook e acabe com a quebra de caixa na ducha